quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Tempo

Nós.
Segredos escondidos. Planos de dominação mundial. Cumplicidade de edredom. Voz no silêncio. Suspiros. Raiva. Você pensa em mim no futuro? 
"Se você for eu vou ao lado"
Nós.
Plural, duplinha, mãos dadas. O outro lado do fone de ouvido. Playlist secreta. Piadas internas. Apelidos que não fazem sentido algum para o resto do mundo.
Nós contra o resto do mundo. Nosso pequeno universo, nossa caixa, nosso quarto, nosso bunker.
Nós e a minha dúvida do quanto o amor dura. Essa minha ideia de que amor é algo comestível, suculento, a melhor refeição da sua vida, mas com o tempo embolora.
Como faz pra continuar junto por muitos anos, ainda se amando, ainda cultuando essa seita secreta que eu chamo de "nós"?
Não te contei, mas ando com uma obsessão de querer saber isso dos casais que também são "eles" há muito tempo. Quero aprender pra te ensinar.
Nós e essa minha teimosia em insistir no amor mesmo com tantas cicatrizes de guerra espalhadas pelo meu corpo.
Você nem questiona quem as fez. O que te importa é esse meu pequeno pedaço de carne que ainda não tem nenhuma marca. É pequeno. Mas é fértil. 
Você sussurra no meu ouvido que "dessa vez vai ser diferente" e eu seguro nas suas mãos com essa fé cega que na verdade é pura teimosia. 
Dessa vez vai ser diferente. 

(Texto publicado na terceira edição da revista Cause)

No Comments Yet, Leave Yours!